logo_locamob
ir para o Locamob

Pagar mico com os amigos é mais divertido!

por Sabrina25. junho 2013 08:23


E aí, gente?

O karaokê foi inventado na década de 40, lá - adivinhem onde? - no Japão e acabou se tornando uma febre mundial. Aqui em São Paulo, esses karaokês estão concentrados principalmente no bairro da Liberdade, sobre o qual nós já falamos um pouquinho aqui nesse post. Mas disso vocês já sabiam. O que vocês não sabiam é que concursos de karaokê, nos quais participam pessoas de todas as idades, são realizados por lá todos os fins de semana.

E vocês, gostam de cantar? Profissionalmente ou no chuveiro, tanto faz - a emoção é a mesma. Então confiram algumas dicas:

 - O Siga La Vaca, lá na Santa Cecília, é uma fofura. Com vaquinhas espalhadas por todo o canto (é sério: desde réplicas em tamanho quase natural na sacada até os abajures), o local é ótimo para um encontro de amigos. São três salas separadas (nas quais se chega após subir uma escada bem bonitona) que comportam cerca de 30 pessoas cada uma.  A seleção de músicas é incrível, com canções em português, inglês e espanhol e as músicas vão desde as breguices dos anos 80 até alguns sucessos mais recentes. A cantoria fica melhor ainda quando a sala está cheia e todo mundo conhece a música!

 Simpático, né?

  - O Restaurante Samurai, lá na Liberdade (não podia faltar, né gente?), possui um palco gigantesco, no qual a maioria dos cantores sobe descalça/de meias - já que o restaurante é bem estilo japonês mesmo, com mesas baixinhas e pessoas descalças. Com um pessoal super atencioso e ambiente bem legal, o restaurante-karaokê é perfeito para quem gosta de soltar a voz!

 - A Chopperia Liberdade (adivinhem onde ela fica?) é um espalhafatoso karaokê que agrada a gregos e troianos - quer dizer, agrada a japoneses e brasileiros - com seu repertório musical super diversificado. Se vocês forem nos fins de semana, preparem-se para enfrentar uma fila bem legal, já que o local fica abarrotado de aventureiros cantores. 

 

- O Beleléu Karaokê Bar, em Santana,foi um dos primeiros karaokês daqui de Sampa. Segundo os donos, o conceito é transformar o "beleléu" em um lugar bom e artístico (afinal, era para lá que geralmente iam os músicos da época. Mais criativo, impossível). O local possui quase 200 mil músicas em seu acervo (!), além de também oferecer um cardápio bem gostoso com vários tipos de porções e bebidas. E, se vocês quiserem fazer seus aniversários lá, é só reservar até três dias antes da data (e, se vocês levarem mais de 15 pessoas, ainda ganham um champanhe e uma entrada VIP!).

 

 

E aí, gostaram? Claro que sim! Então acesse esse site e esse outro e confiram mais karaokês legais de São Paulo!

Japoneses no Brasil

por Sabrina19. junho 2013 09:34

 

E aí, pessoas?

Ontem (17/06) foi comemorado o Dia da Imigração Japonesa aqui no Brasil, sabiam?

A história aconteceu por uma série de circunstâncias que envolviam tanto o Brasil quanto o Japão, na época. No caso do Brasil, havia a necessidade de se conseguir mão-de-obra, já que a escravidão fora abolida em 1888 e havia ainda uma política de "branqueamento" da população (o governo achava que um país só poderia ser considerado desenvolvido se a maioria de sua população fosse branca. Pensamento horrível, né?). Quanto ao Japão, a situação no país estava tensa: o país, que havia ficado centenas de anos completamente isolado do resto do mundo,enfrentava um momento de abertura econômica e política. Desse modo, com a mecanização da agricultura e os altos impostos, vários camponeses ficaram desempregados e precisaram se mudar para as cidades - que, imaginem, ficaram supersaturadas. Por esse motivo, a emigração (saída de japoneses do país) era incentivada pelo governo para vários outros países, dentre eles o Brasil.

 

 Pôster incentivando a emigração para o Brasil.

A partir daí, em 1908, chegaram os primeiros imigrantes lá no porto de Santos, a bordo do navio Kasato Maru. Eles foram dirigidos para as fazendas de plantação de café no interior de São Paulo e foi esse "isolamento" que fez com que vários desses imigrantes jamais aprendessem o idioma brasileiro (o que era ainda mais fortalecido pela fundação de escolas japonesas pelas próprias comunidades). Imaginem só: vocês vão para um país distante para trabalhar - e trabalhar muito: os imigrantes, tanto japoneses quanto de outras etnias, eram praticamente explorados pelos fazendeiros - e não conhecem nem os costumes e muito menos a língua do local. É claro que a adaptação seria muito difícil.

 

O Kasato Maru, que trouxe os primeiros imigrantes.

Apesar dessas dificuldades, a imigração para o Brasil cresceu bastante, tornando-o o país com a maior colônia japonesa fora do Japão - os estados com maior representatividade desses imigrantes (e descendentes) são Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Mas desse último você sabia, certo? Afinal, quem nunca foi lá no Bairro da Liberdade para ver os festivais e as feirinhas no fim de semana?

 

 Feirinha de fim de semana lá na Liba.

A cultura nipônica se misturou tanto à brasileira que é normal ir a um restaurante self service e encontrar sushis em meio às saladas. Vai falar que não é verdade? Além disso, agora é fácil encontrar restaurantes japoneses em todas as regiões, tanto em São Paulo quanto no Brasil inteiro. Querem ver?

Em São Paulo, há, por exemplo, o Sushi Iê, que serve no estilo rodízio e fica aberto até às 0h no Domingo! Mas vocês também podem experimentar o Nakombi, no Itaim Bibi. Ele oferece comida e atendimentos ótimos, além de também entregar em casa (para a alegria dos preguiçosos).

E não para por aí: em Recife, por exemplo, há o Nori Temakaria (lá na Boa Viagem), que é perfeito para ir com amigos, já que seu ambiente é bonito e a comida é uma delícia.

É claro que existem mais restaurantes japonese por todo o Brasil, então porque vocês não clicam aqui e encontram os restaurantes de sua cidade? :)

E você, é descendente de japoneses? Tem amigos japas? Conte-nos suas histórias :D

Tire a camisa xadrez do armário!

por Sabrina15. junho 2013 10:00

 

E aí, pessoal?

Junho é um dos meses mais esperados pelo brasileiro e por quê? Por causa das Festas Juninas, claro! 

Trazida pelos portugueses, a tradição de comemorar o mês de Junho (ou os dias de São João, São Pedro e São Paulo) continua até hoje, com influências de danças francesas (nas quadrilhas, porque são marcadinhas e tudo mais, característica típica de algumas danças francesas), danças portuguesas e espanholas (aquelas bonitinhas com fitas) e - aposto que ninguém sabia dessa - com influências chinesas. Da onde você pensava que vieram os fogos de artifício?

A maior expressão dessas festas é lá no Nordeste, mas aqui em São Paulo as comemorações também são muito conhecidas e apreciadas. Então liberte seu lado caipira e confira algumas festas juninas tradicionais aqui da região:

 

Festa Junina Portuguesa

 

A tradicionalíssima - e maior -  festa junina de São Paulo é realizada lá na Praça Lourenço Francolino, que fica pertim da Marginal Tietê. As comemorações envolvem shows de cantores sertanejos como Paula Fernandes, Fernando e Sorocaba, entre outros, além dos pratos típicos (canjica, gente!), das danças e das bandeirinhas. A festa acontece do dia 1/06 até 9/7, a partir das 19h, com entradas a partir de R$30.

 

Festa Santo Antônio do Pari

 

Confecção do pequeno bolinho de 3000 kg

Imagine só até 50 mil pessoinhas em um mesmo lugar, com muitas barraquinhas vendendo comidas típicas deliciosas. Essa é a Festa Santo Antônio do Pari, que acontece na Praça Padre Bento, do dia 1/06 até 23/6. O horário é das 13h às 17h. E o melhor: é de graça!

 

Festa Junina da Candelária

 

Muitas barraquinhas, muita comida boa e muitas brincadeiras aguardam você na 79ª edição dessa festa junina super tradicional aqui de Sampa. Ela acontece lá na Praça Nossa Senhora da Candelária, do dia 2/06 até 1/07, das 17h às 13h.

 

 Festa Junina Kendo

 

A primeira edição dessa festa apresenta uma comemoração diferente de todas as outras. Apresentações de taikô (os tambores japoneses), brincadeiras e comidas japonesas  se encontram com as típicas barraquinhas e as danças folclóricas brasileiras. Atenção: é só hoje, dia 15/06, das 12h às 19h! A festa acontece lá na Rua Fagundes, na Associação Bunkyo Kendo e a entrada custa R$10.

 

E tem muito mais, gente! Confira mais algumas lá no G1, na Veja São Paulo ou no Catraca Livre.

Gostou? Gostou sim, que eu sei! Quem é que não gosta de Festa Junina? :D

Deixe um comentário aqui falando de alguma experiência sua com essa festa.

 

O que fazer no sábado à noite

por Sabrina11. maio 2013 17:20

        

        Sábado chegou, finalmente! Depois de uma semana extremamente corrida e cansativa, na qual você correu atrás dos presentes para sua mãe (lembra desse, desse e desse post?), planejou o almoço de domingo e fez mais um milhão de coisas, o melhor para fazer nesse sábado à noite é... o quê?

         É nessa hora que a situação fica um pouco tensa. Você já foi a todas as baladas legais, acha que todos os restaurantes de São Paulo são iguais ou sem graça e também cansou de encher a cara com os amigos nos barezinhos da cidade. E agora, o que fazer? Bom, ficar em casa vendo filmes é sempre uma opção, mas não custa variar um pouquinho, não é mesmo?  Afinal, São Paulo oferece tantos lugares diferentes que fica até difícil de conhecer todos.

         Um destes locais é o Willi Willie, lá em Moema. O local não só oferece vários tipos de bebidas, porções e sanduíches, como também apresenta diversos shows com covers de bandas famosas (como Red Hot Chilli Peppers, entre outras), algumas bandas independentes e até mesmo shows de stand up comedy, para quem quer rir um pouco. Até aí normal, parece ser um bar como todos os outros. Mas o grande diferencial do local é que ele não é simplesmente um bar – é também uma arqueria! Na primeira arqueria de São Paulo (e do Brasil) você paga só R$5 e tem direito a dez tiros, sendo orientado por profissionais experientes, que deixarão suas aventuras mais seguras e divertidas. Imagine só, você vai se sentir como o próprio Legolas.

         Seguindo o conceito de bares interessantes, ainda há o Ludus Luderia, na Bela Vista. Além, é claro, das comidas e bebidas, você pode ir lá com seus amigos para jogar jogos de tabuleiro. Isso mesmo, lembra do Perfil ou do Detetive que você jogava quando era criança? Lá você pode jogar esses e mais de duzentos outros jogos diferentes e, se não souber jogar algum, você ainda pode pedir a ajuda dos atendentes, que vão te explicar direitinho como funcionam os jogos. É bem diferente, vamos combinar.

         Mas, para você que gosta de dançar, mas cansou da música puts-puts das baladas, também há opções de bares legais em São Paulo. O Xcaret, em Pinheiros, é um exemplo disso: ele é um dos melhores bares de música latina daqui de São Paulo. Inaugurado em 2005, o Xcaret apresenta bandas dos mais diversos ritmos latinos, como salsa, merengue, entre outros – e não adianta dar a desculpa de que não sabe dançar, pois eles também dão umas aulinhas para o pessoal.

         Tá bom, você não gosta de bailar. Mas você gosta de rockabilly e pensa que não há nenhum lugar em São Paulo que toque esse estilo de música. É claro que existe! O The Clock Rock Bar, na Barra Funda, é um dos únicos espaços da cidade no qual a programação é toda feita de rock dos anos 50 e 60 e também é um dos únicos na qual você pode ir vestido à caráter (não que você não possa se vestir do jeito que quiser, mas você entendeu a proposta). Lá são apresentados shows de diversas bandas do estilo e você ainda pode ter algumas aulinhas antes deles (para não pagar nenhum mico).

         Você ainda não ficou satisfeito? Tente então o The View Bar, que fica lá na Alameda Santos. Não é uma boa escolha se você tem medo de altura, já que ele fica no 30º andar de um prédio - mas a vista da Avenida Paulista e do resto da cidade de São Paulo é de tirar o fôlego. Tudo bem, você pode ficar sem apreciar essa vista linda, mas pelo menos experimente a comida de lá. Com diversas opções de entradas, sanduíches, saladas, jantares e sobremesas, você pode achar que o preço é absurdo, mas não é não -  é justo.

         Não gostou? Beleza, tem mais uma dica rapidinha: o restaurante Skye, no Jardim Paulista. Localizado na cobertura do Hotel Unique, ele oferece comidas deliciosas preparadas pelo renomado chef Emmanuel Bassoleil e uma vista maravilhosa da cidade de São Paulo.  Vai perder essa?

         Bom, se você não gostou de nada, você ainda pode conferir mais opções de divertimento clicando aqui. Mas, fala sério, quer opções mais legais e diferentes do que estas?

         Você pode baixar o aplicativo do Locamob clicando aqui.

         E aí, o que achou? 

Dê um descanso para a mamãe

por Sabrina8. maio 2013 13:43

 

Por causa da vida atribulada e caótica da cidade, muitas pessoas acabam ficando tão estressadas que nem conseguem aproveitar o lado bom da vida urbana. Se isso já é normal para empresários, imaginem só para as mães (e ainda: imaginem só as mães empresárias)! Essas mamães, além de trabalharem todos os dias da semana fazendo trabalhos cansativos e estressantes (seja em casa ou em um escritório), ainda precisam arranjar tempo para cuidar dos filhos. Aí chega o fim de semana e é aquela canseira.

Por isso, nada melhor do que presentear essa mãe tão dedicada com algo que ela vai adorar: um dia inteiro em um Spa, só relaxando e ficando ainda mais linda (e você ainda pode aproveitar para dar uma descansadinha junto com ela). Confira algumas dicas que separamos:

 - O Hara, em Pinheiros, São Paulo, oferece um dos tratamentos relaxantes mais interessantes que existem: o Acquabox. Ele consiste em ficar inteiramente submerso em um grande “tudo” transparente, respirando com um regulador e, por você conseguir ver tudo ao ser redor, a sensação é de que se está voando. Além de tudo, o spa ainda junta essa técnica com a cromoterapia, o que ajuda a relaxar ainda mais.

 

 

 

                                                                                   A incrível experiência do Acquabox

- O Spa Maria Bonita, em Ipanema, no Rio, tem uma proposta diferente: ele realiza técnicas de emagrecimento baseadas na reeducação alimentar e no higienismo, que mistura Saúde, Ciência, Qualidade de Vida e Ecologia em suas técnicas. Aliados a esse conceito estão a prática de atividades físicas, que respeita a diferença no condicionamento físico de seus clientes com atividades gostosas como caminhadas, tai-chi-chuan, hidroginástica e danças; as palestras educativas e as terapias oferecidas, como acupuntura, massagens, entre outras.

 

 

 - O Aviv Spa, em Lourdes, Belo Horizonte, além de oferecer diversos serviços como deliciosas massagens e banhos relaxantes, ainda ministra vários cursos para tratamentos estéticos, como carboxiterapia, drenagem linfática, peeling químico, limpeza de pele, entre outros. Ainda por cima, o spa faz promoções com pacotes bem interessantes para o Dia das Mães.

 

 

         Se sua mãe gostar, que tal pedir para ela deixar sua opinião lá nas páginas dos spas?

         Clique aqui e veja mais opções de spas em sua região (e clique aqui para ver nosso #ListaDeQuinta do Facebook sobre spas).

         Gostou das nossas dicas? 

 

Quem é que não gosta de um bom parque?

por Sabrina2. maio 2013 13:00

     

 

     Não há nada melhor do que um bom parque, cheio de verde e de diversões, para esquecer a loucura do dia-a-dia em uma das cidades mais importantes do Brasil. Um passeio pelos parques de São Paulo ajuda não só a relaxar, mas também a colocar os exercícios em dia.

     Um excelente lugar para começar é o Parque do Ibirapuera, bem famoso em São Paulo não só pelo seu tamanho, mas também por apresentar algo bem legal: um show com fontes d’água, luzes e músicas na época do Natal. Além disso, o parque ainda oferece aluguel de bicicletas ou patins, que podem ser usados em praticamente quase toda a extensão do local. Convenhamos, não há nada mais gostoso do que pegar uma bike e andar por um local cheio de verde e com aquele vento fresquinho batendo no rosto!

     O parque, carinhosamente chamado pelos frequentadores de Ibira, ainda abriga várias instalações interessantes, como a Oca que, com sua arquitetura arrojada, abriga as mais diversas exposições; ou o Auditório Ibirapuera, o Planetário e a Fundação Bienal. Com todas essas opções, diversão é o que não falta por aqui – até mesmo para você que só gosta de ficar deitado na grama, olhando para o nada.

    Por maior e mais conhecido que esse parque seja, ele não é o único de São Paulo: o Parque da Água Branca, na Barra Funda, é uma ótima opção para você que gosta do mundo caipira. O enorme parque lembra uma fazenda antiga, daquelas bem enormes e bonitas – com direito a uma casa de taipa e barro e tudo mais!

     Para quem gosta de fazer um bom piquenique em um local tranquilo e arborizado, esse parque de São Paulo é o lugar ideal, já que há vários mesões com cadeiras que podem ser ocupadas pelos visitantes. No maior clima rural, pode-se passear por lá e ainda ser acompanhado de pertinho por um pavão ou pelas galinhas que ficam soltas pelo parque. Ô, delícia!

   O ambiente caipira também pode ser encontrado no Parque Municipal Vila Guilherme – Trote – principalmente quando o local apresenta o Revelando São Paulo, evento que tem como objetivo trazer para a capital a tradição e as danças das cidades do interior do estado. O espaço é enorme e, apesar de não haver tantas opções de lazer, é uma boa opção para quem gosta de observar a natureza e descansar sob o sol.

    Mas, para você que não gosta de ficar parado, há ainda boas opções de parques muito divertidos em São Paulo, como o Parque do Povo, no Itaim Bibi. Como lá é bem plano, o local é ideal para quem gosta de pedalar, correr ou apenas fazer uma caminhada levinha de manhã para se livrar do estresse do dia-a-dia. Apesar de não ser muito grande, o parque fica em uma das áreas mais nobres de São Paulo, o que proporciona uma vista bem legal dos prédios bonitos que ficam na região. 

      Um outro parque em São Paulo que é ótimo para fazer exercícios físicos é o Parque Villa-Lobos, no Alto da Lapa. Ele possui áreas especiais reservadas para a prática de skate, ciclismo, basquete e até mesmo vôlei, além de também oferecer uma área verde enorme e deliciosa, para quem quer apenas dar uma voltinha ou aproveitar o dia de uma forma diferente. Se quiser levar as crianças, não tem problema: há um playground bem legal para distraí-las.

     Se você ainda não está contente com essas dicas, aqui vai mais uma: o Parque Ecológico do Tietê, em Ermelino Matarazzo. Para quem gosta de natureza e animais esse é o lugar perfeito, já que é um pedacinho de Mata Atlântica no meio de São Paulo. Lá você pode observar toda a beleza da flora e da fauna brasileiras, além de também conseguir ver bem de pertinho os animais que habitam o parque, como macacos, ave, capivaras, entre outros. E o melhor de tudo é que você também pode ir lá apenas para caminhar, passear no pedalinho e ficar sentado na grama. 

      E aí, o que você achou desses parques legais aqui de São Paulo?  

     (Ah, se você estiver fora do estado, é só clicar aqui e pesquisar os parques mais próximos da sua região :D) 

Há mais diferenças entre um pastel e um paxxtel do que imagina nossa vã filosofia

por Sabrina29. abril 2013 10:19

      Há um bom tempo que quase todo mundo sabe que há uma grande diferença entre viver na cidade de São Paulo e viver na do Rio de Janeiro. Essa diferença, entretanto, não fica só na bolacha e no bixxcoito, ou no mesmo e no meixxmo -  e nem no fato de lá no Rio haver praias e aqui em São Paulo não: o custo de vida entre as duas cidades possui uma diferença muitas vezes gritante.

     A diferença entre o pacote de 1kg de feijão, por exemplo, é bem grande (R$3,03 no Rio e R$4,57 em São Paulo), assim como a entrada em uma balada, que no Rio custa R$41,71 e em São Paulo custa R$52,28 – mas não é tanto quando comparamos com os valores da educação: no Rio, a mensalidade do curso de Administração custa, em média, R$720,22 e, em São Paulo, custa R$1.126,15. A diferença é assustadora! 

    E não para por aí: há uma grande disparidade entre os preços de vários outros serviços, que envolvem transporte, diversão e teatros, comida, moradia, entre outras categorias. Mas por que isso acontece? A resposta é fácil: depende do salário médio de cada região, dos impostos sobre os produtos e mais várias outras coisas, que colaboram para deixar o preço de algum artigo mais caro ou mais barato, dependendo da região (se é mais perto ou mais afastado do centro) e até mesmo da época do ano. 

     Confira o infográfico que fizemos (fonte):

Infográfico - As diferenças entre SP e RJ

        No geral, a vida em São Paulo é um pouco mais cara do que a vida lá no Rio – e mais cinza, também, não é mesmo? Mas isso não parece importar para quem vive na cidade; quem é paulista de verdade sempre reclama, mas não trocaria São Paulo por nenhuma outra cidade. No Rio, é claro, acontece a mesma coisa: nenhum carioca quer deixar a Cidade Maravilhosa e abrir mão daquela caminhadinha gostosa pela areia antes de ir para o trabalho.

Gostou desse infográfico? :) Compartilhe em seu blog ou Site! Basta inserir o código abaixo em sua página. Simples Assim. s2

A educação em São Paulo e no Brasil

por Sabrina27. abril 2013 12:48

     

      A educação no Brasil, infelizmente, não apresenta um panorama muito bom em relação aos países desenvolvidos: sua colocação é bem baixa quando comparado à Finlândia ou a outros países ricos, já que aqui as taxas de analfabetismo e a qualidade de ensino não são muito satisfatórias.

     Entretanto, o Governo vem procurando melhorar esse ranking, criando vários projetos voltados à educação, como o Plano Nacional de Educação (que pretende, até 2020, cumprir diversas metas com a ajuda da comunidade) e o Ciência sem Fronteiras, no qual são oferecidas milhares de bolsas de estudo no exterior para alunos que estão se formando em áreas ligadas às ciências (como mecatrônica, etc).

       Uma das mais importantes ações do Governo, no entanto, foi a criação de centenas de escolas técnicas, as ETECs, em vários estados do Brasil e, principalmente, em São Paulo. Elas oferecem uma variedade gigantesca de cursos técnicos integrados ao ensino médio, como, por exemplo, Técnico em Comunicação Visual, Técnico em Projetos Mecânicos, entre milhares de outros que abrangem todas as áreas do conhecimento.

      A ETEC Parque da Juventude é uma das mais novas escolas técnicas que procuram melhorar a educação em São Paulo. Ela foi construída em 2007, no exato local onde ficava o presídio Carandiru, que foi implodido e deu lugar a essa escola, a uma biblioteca e a um parque. Essa ETEC paulista oferece cursos técnicos de administração, enfermagem, logística, entre outros, e conta com instalações bem bonitas e modernas.

 

 

      Outra ação do governo para tentar melhorar a educação no Brasil foi a criação das FATECs, as faculdades técnicas. Elas estão espalhadas por todo o Brasil e, principalmente, em São Paulo. A FATEC de São Paulo oferece cursos de Mecânica de Precisão, Gestão de Turismo, entre outros, todos com uma infraestrutura interessante e professores ótimos, atuantes no mercado.

 

 

      No entanto, apesar desse investimento, ainda fica claro que a educação em São Paulo (e no Brasil inteiro!) ainda precisa de muito tempo e dinheiro para conseguir se igualar com a dos países desenvolvidos. O que vocês acham que ainda pode e tem que ser mudado? Deixe um comentário falando sua opinião :)

 

 

 

 

Hora de comer um pãozinho!

por Sabrina23. abril 2013 16:07

         

E aí, pessoal! Hoje nós vamos inaugurar nosso blog lindo com um post de dar água na boca: As Padarias Mais Legais de São Paulo.

 

São Paulo oferece tantas diferentes que fica até difícil escolher qual visitar. Uma delas, por exemplo, e que por sinal é ótima, é a Padaria Penetteria, no Mandaqui. Ela oferece, além dos tradicionais lanches e pães, diversos pratos especiais para o almoço, pizzas, saladas e até um cardápio específico para a criançada. E não é só nos pratos que os pequenos têm atenção: a padaria também oferece um espaço kids, no qual há vídeo games, lousas magnéticas, mesinhas de pintura e muito mais. Os adultos também não ficam de fora dessa, já que a padaria fica aberta 24 horas.

 

Outra padaria que também fica aberta o dia inteiro aqui em São Paulo é a Villa Petra, lá na Vila Leopoldina. Com uma mistura de padaria, confeitaria e restaurante, passar fome depois da balada ficou no passado. A qualidade de todos os produtos lá oferecidos, desde os lanches e aperitivos até os bolos e pratos, é excelente, o que a torna uma ótima opção para quem quer fazer uma festa e precisa encomendar as comidas (isso mesmo: a Villa Petra oferece a possibilidade de encomendar bolos, tortas e lanches para eventos).

 

Para os preguiçosos de plantão, há ainda várias padarias paulistas muito legais que oferecem o sistema de delivery, como a Iracema Pães e Doces, lá na Santa Cecília. Há várias opções de lanches – recheadíssimos! -, assim como de pratos e, obviamente, de pães e tortas, todos com preços muito bons e taxa de entrega já inclusa. Mas, se a pessoa quiser ia até a padaria, ótimo: ela serve tanto almoço quanto café da manhã e jantar em forma de buffet ou por quilo. E, o melhor de tudo, também fica aberta 24 horas!

 

Outra delícia de padaria em São Paulo é a Padaria Barcelona, na Consolação. Ela, além de estar localizada bem perto da deliciosa Avenida Paulista – ponto de parada obrigatório para quem vem para São Paulo, com todas as suas lojas, prédios e livrarias – oferece opções sensacionais de pães e todas as outras maravilhas que podem ser encontradas em uma padaria.

 

Para quem é viciado em pizzas, a Century Pães e Doces, em Santana, é o paraíso: além dos lanches, ela oferece um buffet supremo de sopas e, o mais importante de tudo, pizzas fresquíssimas após as 18 horas. A Century também é o paraíso para quem quer saborear uma boa pizzona no conforto de casa, pois fornece delivery para a região. Ela ainda fica perto do metrô, ou seja: não adianta inventar a desculpa de que é muito longe!

 

Os amantes de um bom cafezinho não ficam de fora dessa lista: o clássico Fran’s Café, lá na Avenida Paulista, proporciona uma experiência mais que agradável para os cafezeiros de plantão. É possível apreciar o delicioso waffle com Nutella, tomar um cappuccino maravilhoso e quentinho e ainda observar o interessante movimento de todas as pessoas que passam lá pela Paulista. Mas se a pessoa gosta mesmo é de ver livros, o V.Café da Livraria Cultura é a coisa mais linda do mundo. Lá é fácil se perder à vista de tantos livros bons e de um ambiente tão lindo quanto aquele – o difícil é sair do café sem levar nenhum livrinho.

 

Ao sair de lá, a pessoa ainda pode ir à Padaria Benjamin Abrahão, que é ali pertinho, na Consolação. Bastante conhecida pelos moradores, a padaria oferece uma quantidade mais que satisfatória de apetitosas tortas doces, cestas de pães - são perfeitas para aquele café da manhã na cama - salgados, patês e muito mais. Como ela é grande, pode-se até levar os amigos e a família para uma confraternizaçãozinha informal.

 

Para quem gosta de lugares mais tradicionais de São Paulo, a Galeria dos Pães, no Jardim Paulista, é uma boa escolha. Lá se pode comprar pães, queijos, lanches e até mesmo vinhos durante o dia inteiro – e ainda deixar o carro no estacionamento próprio! O lugar é grande, com vários ambientes que vão de padaria à lanchonete e adega, tornando essa padaria paulista ainda mais legal.

 

E aí, gostou de alguma dessas padarias? Então deixe seu comentário lá na página dela!

Se você gostou do nosso blog, fique ligado que logo logo vêm mais posts interessantes!

Facebook

Sobre o Locablog

O Locablog é o Blog do Locamob.

Com esse blog nós pretendemos aproximar a relação com nossos usuários e visitantes, fazendo do nosso cantinho um espaço agradável e divertido, onde você pode comentar e compartilhar tudinho em suas redes sociais.  ;)

Vamos indicar para você os melhores locais de todo o Brasil, te contar curiosidades sobre esses lugares e sobre o próprio Locamob, além de infográficos exclusivos, vídeos, histórias, notícias, coisas engraçadas e muito mais.

Então faça o seguinte: Fique à vontade! s2